Férias =D

Posted on

Oi gente!

Como vocês estão vendo, o ritmo de atualizações está lentinho aqui no blog.

O principal motivo – além da preguicinha de fim de ano – é que estou aproveitando para fazer algumas coisinhas na “vida real” que estão ocupando todo o meu tempo.

Até sexta-feira eu meu dei férias, e agora estou passando uns dias nesse paraíso aqui, ó

Enquanto o blog não volta ao ritmo normal, vale a pena dar uma conferida no post gigante que fiz com a retrospectiva 2011.

Tem os melhores posts do ano, e muita coisa pra ler. É só clicar.

beijos!

😀

5
  • Compartilhe  →

Domingo é dia de viajar. Destino? Verona!

Posted on

Estreando uma sessão nova no blog hoje.

Isso porque andei arrumando meus álbuns no computador, e vi que tem um monte de fotos bacanas e dicas de alguns lugares que conheci e poderia compartilhar com a galera aqui do blog.

Elegi aleatoriamente o domingo como dia dessa sessão, e a cada semana vou postar imagens de algum lugar pra gente “viajar” por aqui o/

Hoje vamos visitar Verona.

A bela cidade italiana foi declarada patrimônio da humanidade pela UNESCO, e é conhecida também como “a cidade dos namorados” – por ter sido palco da história de Romeu e Julieta. Acho que Shakespeare gostava muito de Verona, parte de ‘A Megera Domada’ também se passa na cidade.

Verona é muito bonita, a arquitetura é incrível, e em cada esquina da cidade a gente também encontra um pouco de literatura e poesia. Muitos escritores e poetas moraram por lá ou visitaram a cidade, e deixaram suas marcas pelas ruas de Verona.

É uma cidade relativamente pequena, e dá pra conhecer quase tudo a pé.

Fofa essa simpátcia e estilosa senhorinha italiana na pracinha:

Eu na era pré-ruivice, com meus óculos geek família Restart kkk

Uma das coisas que acho mais bacana na Itália é a quantidade de gente fazendo e expondo arte na rua.

Em Verona não é diferente, e, em cada praça, a gente vê um monte de artista, de todos os tipos, trabalhando.

A Casa di Giulietta – dizem que é onde morou a moça que inspirou a personagem da história de amor mais famosa de todos os tempos – é aberta à visitação.

A casa foi transformada em um museu – onde não entrei porque a recepcionista era a pessoa mais grossa que já vi na face da terra. Tipo filha de Seu Lunga. E eu como não aguento grosseiria de seu ninguém, dei uma xingada básica nela e fui-me embora.

Depois compreendi o mau humor da coitada. Feia e antipática, com cara de que vai morrer virgem, a pobrezinha vive recepcionando casais do mundo todo que vão passear em lua de mel, ou fazer juras de amor eterno. Deve ser triste isso.

Lá tem uma estátua da Giulietta, e – diz a lenda – se você passar a mão sobre o coração dela, terá uma vida amorosa abençoada.

Eu aproveitei pra fazer um “peitcheeeeenho” porque achei que faria mais efeito kkkk

Muitos livros de amor à venda, e versões de Romeu e Julieta em todos os idiomas existentes – e nos que ainda serão inventados.

Na parede de entrada, os amantes escrevem seus nomes, deixam bilhetes e pedidos.

Daí no meio de tantos nomes gringos, a gente sempre encontra um “Renata, filha da p***” ou “Rodrigo, vai tomar no c*” kkkkk ah, o meu Brasil…

E tem também a casa do suposto Romeu, que a gente pode conhecer só a fachada.

Fica no número 4, e tem somente uma plaquinha de identificação e um trecho da peça.

Achei o Romeu muito desprestigiado rs.

Também me encantei com algumas vitrines de Verona.

Esse vestido em especial, passei longos vinte minutos olhando. Depois ainda escrevi uma crônica sobre ele.

Outra vitrine que me conquistou, foi a dessa loja de artigos para dança. Morri com os manequins bailarinos!

E aí, gostaram?

Se vocês quiserem ver mais de Verona, porcurem o filme ‘Cartas para Julieta‘. A história é água com MUITO açúcar, imprópria para diabéticos.

Mas releve a trama chata e fique de olho na paisagem. Vale a pena ;D

8
  • Compartilhe  →

Bienal de Veneza 2011

Posted on

A Bienal de arte de Veneza é uma das mais importantes mostras de arte comtemporânea do mundo. Li – e agora não lembro onde – que é também a mais antiga. No site da Bienal tem muita coisa sobra a história do evento, que existe desde 1895.

A edição 2011 foi aberta no último sábado, com o tema ILLUMInazioni. Daí lembrei que estive na última Bienal, e fiz algumas fotos que deveriam ter ilustrado uma matéria da revista Salto Agulha.

Quando fui editar a revista, o material sobre a Bienal de Veneza acabou tendo que ficar de fora, mas as imagens merecem ser vistas 😀

Procurei algumas aqui no meu – m e g a d e s o r g a n i z a d o – computador, e resolvi postar no blog.

A edição passada tinha como tema ‘Fare Mondi’ – ou ‘fazer mundos’- e os trabalhos eram organizados em pavilhões que abrigavam cada país participante.

Cada pavilhão ‘sob os meus pés’ na foto, era -literalmente – um mundo. Poderia ser um país, um continente ou um grupo de nações. Mas atravessar cada porta era fazer uma pequena viagem.

As instalações da bienal ocupam um espaço imenso, e é impossível ver tudo em um só passeio. Tanto que o bilhete de entrada valia por 3 ou 4 meses – não lembro bem agora. Você poderia voltar quantas vezes quisesse à Bienal para poder visitar tudo com calma.

A maioria das fotos que fiz foram no pavilhão da Itália – que era o maior e por onde comecei a visita.

Depois de um tempo você vai ficando meio que em transe no meio daquilo tudo e se desprende da obrigação de fotografar. Por isso tenho poucas fotos dos outros pavilhões.

Mas fiz uma seleçãozinha aqui das obras que mais me chamaram atenção. Vamos ver?

Agora mais coisas que fotografei aleatoriamente, sem registrar a plaquinha com nome do autor/obra:

E algumas imagens da parte externa da Bienal.

Destaque para participação de Maria Terra – minha companheira de aventuras na Itália, que ainda deve aparecer um tanto de vezes aqui pelo blog.

E aí, gostaram do passeio? 😀

Quem quiser ver imagens da Bienal desse ano, pode dar uma olhadinha nessa Galeria do UOL.

11
  • Compartilhe  →

Compras em Buenos Aires

Posted on

Mais umas coisinhas sobre Buenos Aires. Vamos lá…

Sei que vocês devem estar acostumados a ler por aí que Buenos Aires é o paraíso das compras. Mas acho isso puro consumismo besta, motivado pelo (baixo) valor da moeda argentina. Com o real bem valorizado por lá, você se sente rica e quer comprar tudo.

Mas a verdade é que os hermanos não são bobos. Eles sabem que nós estamos lá, de cartão de crédito em punho, loucas para fazer um estrago. E o que eles fazem? Sobem todos os preços, é claro.

Comer em qualquer restaurante é mais caro do que estamos acostumados a pagar aqui. Um exemplo fácil para perceber isso é o Mc Donalds. O preço de uma promoção da gigante do fast food lá, é o mesmo daqui. Lógico que não estou mandando ninguém ir comer no Md Donalds ! Só estou usando uma franquia que tem em todo o mundo para comparar os preços.

Roupa só achei legal comprar em brechós mesmo. Odeio a ideia de viajar e comprar roupas exatamente iguais às que posso comprar aqui.

Nos shoppings o preço é igual ou mais caro que comprar aqui no Brasil. Isso sem falar na modelagem, que é super reta e não cobre nem meia bunda brasileira. As argentinas são muito magras – o país enfrenta um problema seríssimo com o número elevado de casos de anorexia – e sem curvas. É praticamente impossível para uma brasileria encontrar uma calça que a vista bem por lá.

Dependendo da época, você pode achar coisas interessantes na Zara (tem várias lojas na cidade, procura o endereço mais perto de onde você vai se hospedar) e na Falabella (uma loja de departamentos argentina que tem coisas bacanas, tipo a Renner).

Eletrônicos são caríssimos. Talvez no free shop seja vantagem comprar, mas na Calle Florida vi eletrônicos que custavam o dobro do preço de comprar no Brasil.

Então o que vale a pena comprar em Buenos Aires?

Em verdade, vos digo: COSMÉTICOS!

E aqui estão os melhores endereços para renovar sua necessaire na capital hermana:

– FARMACITY: Uma rede de farmácias que tem em toda esquina e vende MUITA coisa de maquiagem e cuidado com a pele. La Roche Posay, Avéne, Roc, Maybelline, Rimmel London… é um paraíso! Atenção para os preços dos produtos La Roche Posay, que são beeeeem mais baratos que no Brasil. E para cuidados com a pele oleosa não tem marca melhor no mundo. É bom aproveitar.

– KIEHL’S: Buenos Aires também tem loja dessa famosa marca americana. Fica na Calle Armenia, 1527, Palermo Viejo. O preço é salgadinho, mas se você é fã dos produtos, ou se é curiosa para conhecê-los (meu caso), vale a visita.

– MAS AROMAS: Essa vocês não podem deixar de conhecer! É uma lojinha que fica na Calle Florida, 329, e vende L’Oreal, Redken e Kérastase pela metade do preço – as vezes até menos – que no Brasil! o/ Sabe aqueles litros de shampoo L’Oreal Professionnel? É cheio de brasileira lá comprando loucamente. O litro sai mais barato que a embalagem de 250 ml que compramos aqui.

-MAC PRO: O “pro” do nome é de “profissional”. É uma loja da MAC onde vende absolutamente tudo que os maquiadores profissionais usam. Inclusive aquelas cores menos usuais, acessórios, pigmentos para airbrush e mais um monte de coisas que você fica com vontade de aprender a usar. A loja fica no shopping Galerias Pacifico, na Calle Florida. O bacana de lá é que você não precisa de carteira de profissional para comprar, e as vendedoras a-d-o-r-a-m as brasileiras. Elas atendem muito bem, testam tudo em você, e não tem como errar a cor. O preço não é atrativo. Paga-se mais ou menos a mesma coisa das lojas da MAC brasileiras. Seria muuuuito mais barato deixar pra comprar no free shop, mas se o item que você quer é raro, corre um risco grande de estar esgotado no free shop, então é melhor garantir logo na MAC Pro.

– REGINA COSMETICS: Vale a pena também conhecer uma das lojas da maquiadora Regina Kuligovsky. Ela é tipo a Nalva Melo de Buenos Aires hehehe. Maquiadora super famosa, ela tem sua própria linha de maquiagens. Na loja, além de comprar os produtos, você pode fazer algum dos cursos que a Regina oferece. O preço não é lá tão baratinho. Mas a variedade de cores deixa a gente louca. Ah! Os esmaltes de lá são ótimos. Você pode ainda pode consultar o calendário do site e se programar para fazer um dos cursos. A loja que visitei fica na Calle Costa Rica, 4641, Palermo Soho.

– KRYOLAN: A Kryolan é uma marca alemã que os maquiadores profissionais adoram. Os produtos são MUITO bons! As sombras são as mais pigmentadas que já vi, as bases “seguram” muito tempo na pele. Não é à toa que a marca é a preferida de atores e bailarinos. Os produtos resistem a horas de espetáculo, e ficam intactos até o fechar das cortinas. A notícia ótima é que os preços da Kryolan em Buenos Aires são muito atrativos. Uma viagem para lá é uma boa oportunidade de comprar a melhor paleta de corretivos do mundo, a dermacolor da Kryolan. A loja fica na Calle Gallo, 500. No site tem informações de como chegar, e horário de funcionamento.

– DUTY FREE (EZEIZA): Por último, uma dica de ouro: compre sua passagem de volta pelo aeroporto de Ezeiza, e guarde dinheiro para o free shop. Simplesmente porque o free shop de Ezeiza, é o melhor que já vi em todo o mundo! Os preços são baratíssimos, quase inacreditáveis. Dior, Chanel, MAC, Victoria’s Seecret… tudo a preço de banana. Deixe uma grana separada para gastar lá, vocês não vão se arrepender! O lado ruim é só que muitas coisas mais “desejadas” acabam esgotando rápido em Ezeiza. É muita brasileira louca comprando por lá! rs

20
  • Compartilhe  →

Livrarias em Buenos Aires

Posted on

Outra coisa que amei em Buenos Aires: as livrarias.

O que primeiro chama atenção é que as livrarias portenhas são muito cosmopolitas.  Em qualquer uma delas, por menor que seja, é possível encontrar volumes de várias nacionalidades.

São também ambientes sempre charmosos, com aquele cheirinho de livro que só quem compartilha a paixão pelo papel sabe reconhecer como é encantador.

Quase sempre a livraria tem um café que serve  algumas das delícias que são responsáveis por parte da fama da Argentina: alfajor, doce de leite, cafés de vários tipos e media luna (como eles chama o croissant).

Indico três livrarias para passear, comprar e se encantar. Na verdade, duas livrarias e uma papelaria. São elas:

EL ATENEO (Avenida Santa Fe, 1860)

É a livraria mais famosa de Buenos Aires. Já foi um teatro, e hoje abriga livros da maneira mais imponente que já vi na vida.

O espaço é bem grande, e mantém a estrutura do antigo teatro. Cortinas, palco, camarote… e os livros por todos os lados.

O acervo é imenso, todos os exemplares que procurei – até os mais raros – estavam disponíveis.

Deu pra imaginar como é incrível? Aí vai uma ajudinha em fotos:

 

LIBROS DEL PASAJE (Rua Thames, 1762, Palermo Viejo)

Essa eu descobri por acaso, passeando pelas ruas perto do apartamento que aluguei (olha aí as vantagens de se hospedar em Palermo).

A Libros del Pasaje é muito charmosa e aconchegante. Tem um café d e l i c i o s o, e um cantinho para crianças bem atrativo. Até eu queria ficar lá ouvindo histórias rs.

Por ser uma livraria especializada em artes, ciências sociais e filosofia, tem MUITOS livros legais sobre moda, cinema e fotografia. O melhor é que os preços – pelo menos do dia em que estive lá – estavam ótimos!

Vale a pena ainda parar um pouquinho para apreciar a parede com os autógrafos dos autores que já passaram por lá. Puro encanto!

Fotos: daqui

PAPELERA PALERMO (Rua Honduras, 4945, Palermo)

Como eu disse no começo do post, a terceira dica não é de uma livraria, mas sim de uma linda papelaria.

Se você mantém acesa a paixão pelo papel mesmo em tempos ultra digitais, a Papelera Palermo é o seu lugar. Lá você encontra papéis de todos os tipos, caixas, material para pintura e desenho, origamis e uma variedade enorme de bloquinhos.

Eu sou #aloka dos bloquinhos, tenho vários. Tem uns com desenhos de Evita e outros que remetem à cultura argentina, que são ótimos presentes para quem quer fugir das óbvias caixinhas de alfajor.

Fotos: daqui

E aí, deu vontade de conhecer? 😀

7
  • Compartilhe  →